DEFECAR ESTÁ PROIBIDO, VIU!!!

Hoje a tarde algumas pessoas em nossa cidade (umas tidas de prestígio e outras por puro puxa saquismo) investiram na tentativa de censurar a criatividade de um comerciante que teve a brilhante ideia de brincar com as palavras para fazer um marketing irreverente, como deve ser o carnaval. Pois bem, teve ex vice prefeito de cidade vizinha que alcoolizado veio querer bancar de moralista, veio baba ovo de secretario e de prefeito querendo arrancar a faixa e até usando o nome do MP só para coibir a exposição da faixa que tinha dizeres populares sobre fazer o numero 1 e o 2. Mas ninguém se incomodou com o termo mijada, só com a cagada. Que coisa né? Terminou que cagaram (nas atitudes) e nem pagaram hh o preço. Resultado final: o comerciante por si e não pela pressão e tentativa de censura retirou a faixa e falou o que de fato houve na faixa nova.

Aqui em bezerros você já tem que vir cagado, porque só quem pode cagar é esse tipinho de gente.

Mikhail Gorbachiov

“Ele é cheio de presepada sim senhor/Uma vez ele me fez uma menino”

O bezerroshoje atentou sobre uma imagem de um jumento pastando livremente em uma praça recém-inaugurada. Pela mensagem clara da imagem, que mostra a falta da fiscalização do poder público e a omissão do dono do animal, preferimos usar do humor para denunciar a situação. Utilizamos  a expressão ‘folgado’ (entre aspas) para ironizar a cena que foi publicada na sessão de Humor. É obvio que o foco não foi chamar a responsabilidade do animal irracional, mas entre as ‘defesas’ a de que o jumento não deveria ser incomodado foi a mais hilária. De qualquer modo, a reportagem já constatou guardas municipais presentes na Praça do Santo Amaro I, onde está sendo frequentada por centenas de famílias.

APOLOGIA AO JUMENTO

“Ele é cheio de presepada sim senhor
Uma vez ele me fez uma menino,
Que eu não me esqueci mais
Quando dar as primeiras chuvas no sertão,
Agente planta logo um milhozinho
No monturo da casa da gente, porque dar ligeiro
E é milho doce, dar ligeirinho, ligeirinho
O jumento cismou de ser meu sócio
Eu disse eu pego ele…
Quando ele invadiu minha roça…he…
Eu preparei uma armadilha, cheguei perto dele
Comendo meu milho em…vou lhe pegar
Ele balançou a cabeça, ligou as atenas
Torceu o rabo torceu, torceu, torceu
Deu corda e disparou…
Deu um pulo tão danado na cerca
Que nem triscou na minha armadilha
Correu uns 10 metros, fez meia volta
Olhou pra mim e me gozou…seu luiz…seu luiz
Comi seu milho…e como e como e como e como
Filho da peste comeu mesmo…

Trecho da música Apologia ao Jumento de Luiz Gonzaga.

NA ONDA DO BLACK FRIDAY

15181274_1048688901919722_2460485195253579071_n
Vendedor de frutas no centro de Bezerros também entra na onda do comercio mundial. Nas redes sociais, a publicidade tem sido repercutida de forma humorada.

Black Friday, ou Sexta-Feira Negra em português, é um termo criado pelo varejo (ou retalho) nos Estados Unidos para nomear a ação de vendas anual que acontece na sexta-feira após o feriado de Ação de Graças , que é comemorado na 4ª quinta-feira do mês de novembro nos Estados Unidos. A ideia vem sendo adotada por outros países como Canadá, Austrália, Reino Unido, Portugal, Paraguai e Brasil. Leia mais aqui