Prefeitura diz em nota que construção no Polo Cultural está embargada

Prefeitura enviou registro de placa de interdição da construção

O bezerroshoje publicou imagem de internauta que gerou grande repercussão. Confira a nota:

A Prefeitura de Bezerros, através do Departamento Municipal de Controle Urbano, vem esclarecer alguns pontos sobre a obra denunciada há poucos dias, localizada ao lado do anfiteatro de Serra Negra:

– O terreno é de propriedade particular, e não do município;

– A obra apresentava, inicialmente, projeto aprovado, porém o mesmo foi executado pelo proprietário em total desacordo com o planejado, indo assim contra a legislação municipal;

– Dessa forma, a construção foi embargada desde o início deste mês, e o Departamento Jurídico do município está tomando todas as providências cabíveis.

Em tempo, o Controle Urbano agradece ainda a preocupação e consciência ambiental dos munícipes e afirma que o departamento continua à inteira disposição para maiores esclarecimentos, assim como para outras denúncias, através dos telefones 3728-6711 (Controle Urbano) e 0800-081-3132 (Ouvidoria Municipal).

CONSTRUÇÃO AO LADO DO POLO CULTURAL CHAMA A ATENÇÃO DE INTERNAUTA

Aproveitando o tema tão pertinente quanto a preservação ambiental em Serra Negra, uma internauta nos envia uma imagem que remete a preocupação quanto a construções irregulares. O registro fica à esquerda do Polo Cultural, onde há o início de uma edificação que, provavelmente, não ficará no primeiro pavimento e que vai conflituar significativamente com a paisagem natural da região.

50 mudas de ipês são plantadas em Serra Negra

Cerca de 50 mudas de ipês foram plantadas em um trecho de 1 km próximo a vila de Serra Negra. A iniciativa é da Associação dos Moradores de Serra Negra, que busca chamar a atenção sobre a importância de cuidar e preservar a natureza da região.  O mutirão, aconteceu neste sábado com o apoio de estudantes da Escola Municipal Joaquim Claudino de Oliveira. participaram também do momento ecológico os comunicadores Juliano nascimento, Erickson Claudino, o secretário de de governo, Josevânio Miranda, e o advogado Paulo Alves. 

FOLHA DESTACA PLANTIO DE ÁRVORES NA SERRA NEGRA

A 100 quilômetros do Recife, uma das principais entradas que dão acesso ao centro de Serra Negra, na cidade Bezerros, no Agreste pernambucano, ganhará mais vida e beleza com o plantio de 50 mudas de ipê das espécies roxo, rosa e amarelo. A iniciativa, da Associação Serra Negra Verde, é um projeto voluntário de um grupo de moradores que busca chamar a atenção sobre a importância de cuidar e preservar a natureza da região.  O mutirão, que pretende espalhar as plantas ao longo de um quilômetro de extensão, neste sábado (15). A ação contará com o reforço de estudantes da Escola Municipal Joaquim Claudino de Oliveira. Antes de colocar a mão na massa, a garotada participará de um bate papo ambiental. A intenção é que as crianças entendam, de forma lúdica, o seu papel em serem verdadeiras “guardiãs” do meio ambiente.  Leia mais na Folha de Pernambuco.

CHUVAS PELO ESTADO; BEZERROS REGISTRA 10,47MM

Imagem: Sérgio Leão

Clique na imagem e acompanhe as precificações pelo Estado; Bezerros, no agreste, tem tempo fechado com chuvas moderadas. O registro da APAC no município, até às 11h de hoje,  é de 10,43 mm. A possibilidades de que em outras áreas, principalmente na zona rural, as chuvas tenham sido mais forte. Em Barra de Guabiraba, onde corre o rio Sirinhaém, que abastece Bezerros, houve uma precipitação de 40 mm.

Mais de 1500 toneladas de lixo foram retiradas do Rio Ipojuca, em Caruaru

Após dois meses de limpeza no perímetro urbano do Rio Ipojuca, o departamento de limpeza da prefeitura de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, conseguiu recolher mais de 1500 de lixo no trecho que corta a cidade. Entre os entulhos foram recolhidos: capacetes, pneus, bacias sanitárias, televisores, geladeiras, máquina de lavar, fogão e até uma mesa de jantar.

O Rio Ipojuca é o terceiro mais poluído no Brasil e a população, de acordo com o gerente de limpeza da cidade, Ytalo Farias, contribui para esse diagnóstico. Segundo ele, manter a cidade limpa não é responsabilidade apenas do poder público. Ele alerta que todo o lixo que é jogado nas ruas sem o devido cuidado, será levado pela água da chuva para bueiros, córregos e consequentemente para o rio e esses materiais levarão anos para se decompor. Leia mais no G1

Não, isso não é o Ibura. É a Serra Negra!

A paisagem chega a lembrar a ocupação irregular em morros das grandes cidades, mas o registro fica nos arredores da vila de Serra Negra e foi postado na rede social de José Elmy Simões.  A ocupação desordenada é um dos problemas urbanos contemporâneos e quando se trata de uma região considerada de preservação ambiental se acende o alerta sobre qual futuro estamos preparando para o nosso maior cartão postal. A verticalização das construções na Serra Negra é o maior flagrante da agressão que a paisagem tem sofrido na última década.

Parque Ecológico da Serra Negra será sinalizado

A secretaria de Turismo de Bezerros, no Agreste de Pernambuco está na fase de conclusão do projeto que vai sinalizar o Parque Ecológico da Serra Negra. A equipe está elaborando o documento desde o ano passado, com capacitações e levantamento dos locais para a colocação da sinalização correta.

O Parque Ecológico da Serra Negra é uma das Unidades de Conservação (UC) do Estado. Com a parceria da Assessoria de Planejamento e Meio Ambiente da Prefeitura (Asplama), vem recebendo a atenção necessária. As placas do projeto serão indicativas, interpretativas e informativas, com elementos gráficos (tipografia e pictogramas) com o objetivo de informar os visitantes sobre a existência do atrativo e de direcioná-los da melhor forma, além de garantir a segurança do visitante e a conservação do ambiente.

Bezerros é um dos municípios que está inserido no Mapa da Regionalização do Turismo figurando entre os 57 municípios de Pernambuco das 14 regiões turísticas do Estado. O município faz parte da Região Turística Serras e Artes de Pernambuco (Bezerros, Bonito, Brejo da Madre de Deus, Caruaru, Gravatá e Vitória de Santo Antão). O Mapa do Turismo Brasileiro é um instrumento de orientação para atuação do Ministério do Turismo no desenvolvimento de Políticas Públicas.

Do G1

Bezerros tem palestra no Dia Mundial da ÁGUA

Compesa enviou representante para falar sobre o recurso natural indispensável à vida.

Na noite dessa quarta-feira (22), a convite da Gestora da Escola Municipal Felismino Guedes, o secretário da GNR Russas (Compesa), João Paulo Alencastro, realizou palestra alusiva ao Dia Mundial da Água, demonstrando as dificuldades do planeta na obtenção de água potável.

Não obstante, foi apresentado um quadro regional dos desafios e dificuldades que todos estamos passando. Por fim, houve um pequeno debate com resposta a alguns questionamentos dos alunos do EJA ali presentes e seus professores.

“O intuito era demonstrar a escassez de água não apenas em nossa região, mais em todo o mundo. Com isso, temos uma responsabilidade enorme em economizar ao máximo menos em momentos em que a crise não aparece.” Ressalta, João Paulo.

QUEIMADAS EM VEGETAÇÃO SECA NO RIO IPOJUCA PROVOCA MORTE DE ANIMAIS

O flagrante mostra filhotes de capivara mortos, vítimas de queimada no leito seco do Rio Ipojuca, no trecho entre Bezerros e o distrito de Insurreição (Sairé/PE). A imagem é do Internauta Luiz Cabral. ” Como se não bastasse essa estiagem, a suspensão do abastecimento de água e o calor excessivo… Crápulas transvestidos de gente andam incendiando o já falecido “ESGOTO IPOJUCA” atenuando ainda mais este conjunto de CRIME AMBIENTAL. No registro: Filhotes de CAPIVARA que alem de sofrer com a seca, estão morrendo queimados!”

A CHARGE DE RICHARD

Agora a pouco fui presenteado pelo Artista Richard Araújo. Sem dúvida para mim foi um dos melhores presentes que recebi até hoje. Ao artista deixo meu agradecimento pelo belo trabalho que desenvolve e pelo presente que recebi. Vou pô na moldura! Ricardo Torres (APARBE).

 

Rio Ipojuca entre Bezerros e Insurreição

Depois de 5 anos consecutivos de seca, o Nordeste sofre e chegamos à beira do colapso.

Os cinco anos consecutivos de seca no Nordeste brasileiro são explicados pela presença do El Niño e pela não ocorrência do fenômeno climático La Niña, que favorece bastante a ocorrência de chuvas na região, a não ocorrência do fenômeno se deve a uma condição de neutralidade no Oceano Pacífico e de uma configuração das temperaturas do Oceano Atlântico tropical.

De acordo com os Institutos Nacionais de meteorologia, nos últimos cem anos “nunca houve uma sequência de cinco anos com tão pouca chuva”.

Segundo o Monitor de Secas da Agência Nacional de Águas – ANA, praticamente todos os estados do Nordeste estão com graus avançados de severidade de seca: Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e parte de Alagoas estão com secas excepcionais.

Devido a essa grande estiagem não conseguimos se quer ver a poluição que atinge o Rio Ipojuca, podendo em certos locais até caminhar pelo mesmo como mostra a foto abaixo.

PERFIL DA CIDADE CORTÊS SE COLOCA CONTRÁRIO A TRANSPOSIÇÃO DO SERINHAÉM

Um perfil da cidade de Cortês se posicionou contrário ao anúncio de transposição das águas do Rio Serinhaém para Bezerros. O perfil avalia que a retirada d’ água do rio só diminuirá a vazão que já é preocupante, o que pode comprometer o turismo na cidade. “O secretário de Obras informou que o prefeito já está por dentro do assunto e já está em contato com o Governo do estado para analisar a situação”, informou Evandro Santos, ativista digital e dono do perfil de comunicação da cidade.

O bezerroshoje.com adianta que a água no trecho a ser capitada para Bezerros já não segue o curso natural do rio, o que na prática não implicará na redução da vazão na cidade de Cortês. Segundo a informação, a mesma já é represada pela barragem que estar sendo construída no município de Barra de Guabiraba, antes da Cachoeira do Galo.

Para ler o conteúdo, clique no texto abaixo.

TRANSPOSIÇÃO: IMAGEM MOSTRA PONTO DE CAPTAÇÃO D’ ÁGUA NO RIO SERINHAÉM

A imagem foi publicada há um ano durante uma visita do prefeito Branquinho, do deputado Waldemar Borges e do presidente da Compesa, Roberto Tavares, ao Rio Serinhaém. “16.01.2016 -A visita da equipe foi para analisar a melhor maneira de agilizar as obras de conclusão do sistema. A captação da água do Rio Serinhaém vai reforçar o abastecimento em Bezerros que hoje depende apenas da barragem do Brejão após Jucazinho chegar ao volume morto. Além da captação, a obra contempla também a ampliação da estação de tratamento. Com o acréscimo da água para o Brejão, a vazão será de 350 litros por segundo, mais da metade do que a cidade necessita”.

É importante observar a atual vazão do rio, já que a imagem é de um ano atrás.

RIBEIRINHOS DISPUTAM A ÁGUA PODRE DO RIO IPOJUCA; REUNIÃO FOI PROMOVIDA PELA APAC

A Agência Pernambucana de Águas e Clima (APAC), realizou reunião com os ribeirinhos do Rio Ipojuca, que se utilizam da água para finalidades diversas, tais como: irrigação, criação de animais, extração de argila e de água e outras. O encontro aconteceu nesta quinta-feira, dia 19 de janeiro no auditório do DEBETRANS, na cidade de Bezerros, que ficou pequeno para o grande número de agricultores, criadores autoridades e exploradores do Ipojuca para outros meios. Com a presença do representante do Ministério público, Dr. Flávio Henrique, promotor de justiça, o técnico da APAC, João Paulo, abriu a reunião, com as considerações técnicas sobre o assunto e em seguida foram acontecendo debates entre os participantes, e alguns apresentaram sugestões para a melhor forma de se utilizar a água podre do rio Ipojuca, principalmente na região de Fazendinha, onde existe uma barragem, que armazena e distribui água para os ribeirinhos.

Além do uso da água, foram tratados de temas como, cadastramento, outorga, legalização para múltiplo uso da água, uso irregular e utilização dos recursos do rio; com o andamento da reunião os debates foram se acalorando e enfim o promotor de justiça definiu que haverá uma nova análise técnica por parte do órgão competente (APAC), para definição do assunto, que também é motivo do Inquérito Civil, 02/2016,  que trata dos bloqueios, extração de argila e captação de água por particulares, no leito do rio Ipojuca, entre os municípios de Bezerros e Sairé, tendo os ribeirinhos de Gravatá como reclamantes.

Assessoria de comunicação PMB

BEZERROS COMEMORAVA EM 2015 MANANCIAL COM SUA CAPACIDADE MÁXIMA

Em nosso arquivo, encontramos o registro da barragem que abastece Bezerros com sua capacidade máxima, agosto de 2015. Em setembro de 2015, com o colapso do sistema Jucazinho, o manancial assumi completamente o abastecimento de Bezerros e Gravatá.

No ano anterior, em outubro de 2014, o manancial chegou a registrar 40% de sua capacidade, mas restabeleceu nos meses posteriores. Na época, vale destacar, o sistema Brejão dividia o abastecimento de Bezerros e Gravatá com Jucazinho.

O bezerroshoje.com publica algumas manchetes numa demonstração clara que defendemos a pauta que interessa aos bezerrenses.

Reportagem 09/08/2015

VEREADORES ELEITOS ACOMPANHAM O PREFEITO BRANQUINHO EM VISITA AO BREJÃO

VÍDEO MOSTRA ATUAL SITUAÇÃO DA BARRAGEM DE BREJÃO

SITUAÇÃO DE BREJÃO É PREOCUPANTE

BREJÃO JÁ PREOCUPA BEZERROS; MANANCIAL TEM 50% DE SUA CAPACIDADE

POLÍCIA FISCALIZA BREJÃO PARA EVITAR USO INDEVIDO DE ÁGUA

SEM BREJÃO, BEZERROS ESTARIA EM COLAPSO NO ABASTECIMENTO

ÁGUA DE BREJÃO PODE REPRESENTAR ECONOMIA PARA FAMÍLIAS DE BEZERROS

COMPESA: COM O COLAPSO DE JUCAZINHO, BEZERROS PASSA ‘A DIVIDIR’ BREJÃO COM GRAVATÁ

 

FALTOU PLANEJAMENTO, DIZ TV ASA BRANCA

A reportagem da TV Asa Branca, filiada da Rede Globo, fez crítica sobre a preservação das matas ciliares que estão desaparecendo da região da barragem localizada no município de Sairé. A reportagem lembra que as chuvas tem caído cada vez menos naquela região, considerada de brejo, e que os governos tem esperado que a solução caia do céu esquecendo as medidas de preservação que ‘evitariam’ o colapso do manancial.

DA REDAÇÃO: A observação é pertinente, mas também se deixou de mencionar a narrativa que temos sustentado ao longo dos últimos meses. Brejão com sua capacidade máxima continuou abastecendo as cidades de Bezerros e Gravatá suprindo o sistema de Jucazinho que entrou em colapso. A demanda era intensa e os registros de imagens denunciavam que o manancial caminhava para o colapso. A medida que o Governo do estado tomou sobre as obras de transposição deveria ter se dado há seis meses. Por isso chamamos a obra de estratégica e não emergencial. Medidas emergenciais são os chafarizes e caminhões pipas.