POLÍCIA CONTA COMO RECUPEROU CARRO DE EX-SECRETÁRIA DE BEZERROS

Veículo foi tomado de assalto em Bezerros na noite da quinta-feira (12) e passou a ser ultilizado para outros furtos em Caruaru.

Na madrugada desta sexta sexta-feira (13), após tomar conhecimentoatravés da Central de Operações do 4º BPM de que um carro roubado estava sendo utilizado para a prática de assaltos em Caruaru, a equipe Caça Homicida 2 ficou em estado de alerta e ao avistar o veículo suspeito iniciou o acompanhamento que resultou na recuperação do carro e de alguns produtos de roubo.

       Ao se depararem com os policiais militares na rua João Soares de Lira, no bairro Jardim Panorama, em Caruaru, os acusados empreenderam fuga e foram acompanhados, tendo logo em seguida perdido o controle e batido com o Agili de cor vermelha e placa PEV-8321, que era produto de roubo. Com isso, os assaltantes desembarcaram do carro e fugiram por um matagal.
       Dentro do automóvel os policias encontraram sete celulares, um Ipad, um monitor de TV e uma garrafa de whisk, sendo tudo objeto de roubo e entregue na delegacia de plantão com o veículo. Informações levantadas pelo policiamento pode levar em breve a prisão dos acusados.
Informações do 4º BPM
Share

Carreta roubada com 15 toneladas de açúcar estava em um galpão em Bezerros

carretaA Polícia Rodoviária Federal (PRF) encontrou, no início da noite de quinta-feira (11), um caminhão com cerca de 15 toneladas de açúcar, roubado e escondido em um depósito em Encruzilhada de São João, distrito da cidade de Bezerros, no Agreste de Pernambuco. Nenhum suspeito foi preso.

A carreta seguia do Recife para Pesqueira, também no Agreste do estado. De acordo com o inspetor Arnaldo Neves, da PRF, os policiais chegaram até o veículo porque ele estava sendo rastreado. “O caminhão havia sido identificado no perímetro do parque da cidade. De posse da localização, fizemos uma investigação e chegamos a um local com cerca de seis ou sete galpões”, afirma Neves.

Em um dos galpões, o caminhão estava com a carga de açúcar intacta. “O galpão estava fechado, precisamos contactar um chaveiro. Ele foi ao local e abriu o galpão para que nós tivéssemos acesso”, completa o inspetor. Nenhum suspeito foi localizado pela polícia porque o depósito era alugado e não havia ninguém no local.

Do G1

Share