CASA DE MÁQUINAS DA ELEVATÓRIA DO SIRINHAÉM DEBAIXO D’ ÁGUA

A informação que chega à redação é que o rio Sirinhaém se elevou a ponto e as águas invadiram a casa de máquina da elevatória de transposição que manda água para Bezerros. A Compesa havia paralisado o sistema para uma adequação de instalação das novas bombas. Bezerros passa a ser abastecida pelo manancial e Brejão, que vem se recuperando e já saiu do volume morto. Uma fonte atesta que o manancial já atinge mais de 30% de sua capacidade de armazenamento.

PREVISTO- O local da construção da elevatória do Sirinhaém, na de´cada 90,  foi equivocada pela proximidade com o rio. O bezerroshoje.com já noticiou o fato, já que a inundação da elevatória era prevista no caso de elevação das águas do rio.  Choveu 196mm no município de Barra de Guabiraba nas últimas 24h.

Ver imagens do rio Sirinhaém já na zona urbana de Cortês, logo após Barra de Guabiraba

Share

APAC emite novo alerta

Choveu 207mm em Caruaru nas últimas 15h, mais que a média histórica para todo o mês. O rio Ipojuca se elevou, mas se mantém ainda no leito, como mostra imagem desta manhã de domingo divulgada pela Defesa Civil de Bezerros. No ponto de registro da APAC em Bezerrros o registro chega a 33mm. Na região, surpreende os registros de Barra de Guabiraba, 186mm.  A previsão é de mais chuvas em toda a região. Acompanhe as chuvas em tempo real 

Share

BEZERROS MONITORA NÍVEL DO RIO IPOJUCA

2:25 O  secretário de Governo Josevânio Miranda continua com a equipe de Defesa Civil monitorando a situação do rio Ipojuca. As últimas informações é as águas já invadem   às margens do rio na região  da Queimada Dantas. O secretário informou ainda que a situação em Caruaru se mantém estável, o que é um bom sinal. Nesse momento chove em Bezerros, o que contribui com a elevação do rio. A APAC confere 163mm de chuvas no município vizinho  de Caruaru durante as últimas horas. Em Bezerros o índice pluviométrico é bem inferior, 12mm.

Share

Rio Ipojuca deve provocar inundações em Bezerros

Já choveu em Caruaru mais de 155 mim nas últimas horas e o rio Ipojuca não para de subir. Algumas áreas ribeirinhas já foram invadidas pela água. Há pontos de alagamentos na BR-232. O secretário de governo Josevânio Miranda está monitorando a situação e confirma a informação da Defesa Civil municipal sobre a situação do rio em Bezerros, contudo, segundo ele, as águas devem começar a subir pela madrugada.  A preocupação é que continua chovendo em toda a região.

 

Share

A hora é agora!

Diz-se que a corrupção no Brasil é endêmica e tem haver muito com as nossas raízes. Resulta do nosso descobrimento, da nossa colonização e da formação da nossa sociedade. Um erro de fabricação, digamos. No entanto, não dá pra buscar justificar, nessa hipótese, para tudo que está acontecendo no Brasil. Não se tem muito mais a acrescentar. É claro que vão surgir ainda muitos escândalos e atos de desvio de conduta de autoridades dos vários poderes e de pessoas dos mais diversos setores.
O fato é que agora ficou cabalmente claro que o nosso sistema político faliu. As práticas políticas não têm mais como se manter da mesma forma. Os partidos políticos, que se fala tanto em seu fortalecimento, não se fortalecerão porque a sociedade não acredita mais neles. Estão todos se refundando, mas certamente, não representarão o eleitorado, extremamente saturado e descrente.
Diga-se que o noticiário está insuportável com esse nhen nhen nhen…Não se fala noutra coisa. Já não tem mais apelo.
Com a desmoralização completa dos políticos e da prática política, não tem mais o que esperar. Algo tem que ser feito, urgentemente!
Ressalte-se o fato extremamente positivo de que, apesar de todo esse descalabro, não há nenhum indicativo de quebra da ordem democrática.
Todos os cenários apontam para a queda do atual governo. Deve ser só uma questão de tempo. Com a saída de Temer pela renúncia, hipótese não descartada, se for encontrada uma saída ‘honrosa’, ou pela cassação da chapa, muito provável ou mesmo pelo impeachment, a solução mais desgastante, a regra é clara: eleição indireta pelo Congresso.
Uma democracia sólida exige que a ordem institucional seja mantida. Uma constituição não pode ser manipulada ao embalo das crises. Isto dá insegurança jurídica e não é bom. Contudo, o momento é excepcionalíssimo! E diante da descrença do povo nos parlamentares, muitos envolvidos em escândalos, justificar-se-ia sim, a mudança na Carta Magna para que se viabilizassem as eleições diretas.
Creio não ser a hora de disputas acirradas com o sujo falando do mal-lavado. É hora de um grande pacto nacional em defesa da democracia. Isso inclui todos os brasileiros. Não dá pra fazer ‘cara de paisagem’ e fingir que não está acontecendo nada e que os fatos atuais não nos dizem respeito. Estamos no centro. No olho do furacão. Não tem espaço para omissões. É hora de agir. Agora!

Por Nivaldo Santino

Share

Defesa Civil de Bezerros emite nota sobre rio

Após alerta emitido pela APAC sobre o aumento no volume das águas do Rio Ipojuca em Caruaru, vistoriamos alguns pontos do leito do rio aqui no município e informamos que permanece sem nenhuma anormalidade, águas permanecem fluindo pela calha do rio, com baixa probabilidade de transbordar. Qualquer informação e/ou incidente procurar-nos.

Defesa Civil Bezerros.

Share

Por que tenho que apoiar Lula?

Máximo Neto é radialista e apresentador de TV

Muito se fala que o Brasil nunca se desenvolveu tanto quanto no período em que Lula e Dilma, ou o PT, estiveram no poder; que a vida melhorou substancialmente, as pessoas começaram a viver melhor, investimentos em moradia, com a criação do programa minha casa minha vida, que financiou a compra do imóvel novo ou usado, com o incentivo à aquisição de móveis e eletrodomésticos para as mesmas, redução de IPI para a linha branca, com descontos para geladeiras, fogões, microondas e etc., dentre tantos outros benefícios que nunca existiram antes. Mas como no Brasil nada sai de graça, quem pagou o preço fomos nós todos, pois de onde se tira tem que se repor. No caso do IPI, o desconto veio para as prefeituras, através do FPM, reduzido gradativamente, chegando hoje a números irrisórios, quebrando vários municípios e obrigando gestores a fazerem mágica, no sentido literal da palavra, para honrar com compromissos e desvios de verba pública. A população ainda foi penalizada com falsas baixas de preços que nunca existiram para o consumidor final, na compra do carro ou moto, dos eletrodomésticos, da cesta básica, da gasolina e energia elétrica, o incentivo ficou com o empresário, que sequer repassou centavos ao povão.  A falsa ilusão levou ao consumismo desenfreado, hoje o que vemos é uma gente cada vez mais endividada e empobrecida, o consumo pelo consumo foi provado em vários momentos da história, que só leva ao caos social e econômico, pelo querer e poder, incentiva-se a violência na tentativa cada vez maior da aquisição de produtos que se tornam cada vez mais inacessíveis a todos, desencadeando uma problemática social nunca vista antes, que sequer é pensada ou lembrada por políticos, pensadores ou defensores de siglas partidárias, e hoje se chega à conclusão, o povo continua pagando o pato e a discussão se volta ao ‘rouba mais faz e quem roubou menos’. Por isso eu digo, quem quiser ter seu político de estimação que o tenha, boa sorte, passe bem e seja feliz, porque enquanto estes forem tratados como pop stars, idolatrados como são, viveremos submissos aos interesses escusos, e defesa de suas próprias causas, deixando a população cada vez mais excluída do real papel do gestor político, seja em qual for a esfera do poder.

Último artigo: A água é de todos !?

Entre em contato com Máximo Neto via facebook

Share

A POPULAÇÃO DEVE AGIR EM MEIO A MÁ QUALIDADE DA ÁGUA NAS TORNEIRAS

Neto Torres/Advogado

Uma das frases mais conhecidas advindas da nossa carta magma é a que “o poder emana do povo, porém esse povo nada faz a não ser reclamar quando na verdade deveria agir. Se tem o costume de jogar tudo nas mãos das autoridades políticas, que nem sempre corresponde a vontade da população que o mesmo representa, porém é essa a triste realidade do Brasil.

Aqui em Bezerros, houve por parte do poder executivo e legislativo um efetivo trabalho para que a transposição do rio Sirinhaém nos trouxesse novamente água em nossas torneiras, porém essa água não correspondeu à expectativa e junto com a água os boletos recheados de cobranças, que ao meu ver é uma ofensa ao consumidor pagar por um produto com uma qualidade tão abaixo do que se paga.

Diante dessa situação mais uma vez o povo clama que os políticos façam algo, porém por que ao invés de apenas reclamar, a população juntamente com as associações de seus respectivos bairros e autoridades da nossa cidade, não se unem por esse bem comum? Ao meu ver, está na hora de todos se unirem e propor uma audiência pública cobrando das autoridades responsáveis pelo fornecimento de agua de nossa cidade a nível estadual, para encontrar uma solução em meio a esse problema.

Como diz o compositor Geraldo Vandré “vem vamos embora que esperar não é saber quem sabe faz a hora não espera acontecer.”

Bom Final de semana a todos.

Neto Torres/Advogado

Último artigo publicado: Se Temer renunciar qual o procedimento?

Entre em contato com Neto Torres via facebook aqui

Share

COMUNICADOR DIZ TER RECONHECIDO HOMEM QUE TOMOU SUA MOTO DE ASSALTO

O comunicador Máximo Neto desabafou nas redes sociais, após reconhecer entre os homens baleados nesta noite de sexta-feira (26), um dos autores do roubo de sua motocicleta semanas atrás em Caruaru. O comunicador informou que o possível assaltante acabou falecendo no tiroteio e que descobriu que era seu ‘amigo’ da rede social.

ASSALTO: Na abordagem, que aconteceu em Caruaru (06/04), os bandidos fugiram e levaram a sua moto. No dia do fato, o comunicador chegou a imaginar que os meliantes eram da cidade de Bezerros porque obteve informações de que pessoas foram vistas conduzindo uma motocicleta (com as devidas características) pela BR-232, próximo a Encruzilhada. O comunicador informou que estar indo à delegacia para as medidas cabíveis.

Share

DIA DE VACINAÇÃO ANTI RÁBICA EM BEZERROS

Veterinário, formado em gestão de saúde pública e secretário de saúde de Bezerros, Wendel França, esteve visitando os postos de vacinação anti rábica e aproveitou para exercer a sua função de veterinário, vacinando animais.

A campanha segue até as 17h em 10 postos. Praça Centenária, antigo Matadouro, Privê da Gameleira, Policlínica, Taumaturgo Sobrinho, Praça da Cohab, Cereq, Cônego Alexandre, José de Goes e Salgado.

Sérgio Leão

Share

“PACIÊNCIA ETERNA” OU SOBRE COMO “JÁ FIZEMOS ISSO ANTES”

Janaina Pereira é Administradora, Especialista em Gerenciamento de Projetos, Consultora há mais de 10 anos em Planejamento Estratégico e Marketing e Diretora Executiva na Porto3 Soluções.

Estive assistindo à TV Imprensa esses dias, especificamente quando o tema tratado era uma potencial alternativa de acesso à Serra Negra, pauta que já foi levantada outras vezes e de cuja relevância nós que conhecemos a estrada atual, sabemos bem. Mas não vou falar de novo da Serra Negra, ou pelo menos, não apenas da Serra Negra.

Debatendo mais uma vez a questão da estrada, fiquei pensando em quantas vezes já fizemos isso antes. Já fizemos isso antes em relação ao tal teleférico que o Estado prometeu há anos e hoje, na minha visão, deixou até de ser importante. Temos feito isso com frequência em relação ao vergonhoso serviço da Compesa, à insegurança pública que assola nosso município mais do que os demais, de maneira que se tornou até motivo de reportagem televisiva. Já fizemos isso antes em relação ao trânsito e à necessidade de promover concurso público e possibilitar que nossos agentes do Debetrans tenham de fato autonomia, o que não acontece hoje. Já fizemos isso antes em relação ao lixão. Já fizemos isso antes e, quando eu digo ‘antes’, pode ser bem, bem antes mesmo. Refiro-me a todo e qualquer governo, não necessariamente ao atual. Portanto, sem paixões partidárias nos comentários, por favor!

Prezado leitor, tantas reivindicações mais já fizemos antes! E o que acontece? Elas ficam perdidas no tempo, e nos causam uma canseira tão grande que, em algum momento, esquecemos. Prestem atenção se as respostas não são sempre as mesmas.

Quanto à estrada de Serra Negra, a resposta é que o Estado praticamente nos fez um favor com a pavimentação atual, que, por sinal, em poucas semanas, já apresentava sinais claros do péssimo serviço realizado. Não nos interessa saber de quem é a culpa: é ruim, ponto final. E já dissemos isso antes.

No caso do Debetrans, apesar de já municipalizado, neutraliza-se a problemática através de parcerias com PM e Detran, que, inclusive, multa em Bezerros de dentro das viaturas, colocando à margem a sua missão de orientar para evitar acidentes. Enquanto isso, os agentes do Debetrans continuam sem autonomia para agir quando necessário, sendo apenas orientadores de trânsito. Reconheço a relevância do Debetrans, mas pouco ou nada podem fazer em repressão a quem comete infrações, a não ser acionar órgãos competentes.

Quanto à insegurança pública, ensaiamos um Pacto pela Vida municipal, mas nossa voz foi rouca, pois, segundo a gestão, enquanto o município fez a sua parte, o Estado jamais cumpriu a dele em integralidade, sabe-se lá por quê, de modo que aquilo que poderia ser um excelente caso de sucesso não passou de uma tentativa frustrada de amenizar um dos maiores problemas de Bezerros.

O teleférico deixou de ser relevante, a não ser que ligue o Centro à Serra como meio de transporte, já que, daqui a algum tempo, o atual acesso se tonará impraticável! Inclusive isso era proposta de um candidato a prefeito. De repente, ele estava certo.

Esperamos há anos uma solução definitiva para o lixão. Enquanto essa solução não vem, no mínimo, já teria dado tempo de se realizar uma campanha educativa de separação do lixo, e a coleta seletiva obrigatória ser implantada ao menos nas escolas e repartições públicas. Vereadores, que tal uma lei para isso? Que eu tenha conhecimento, são pelo menos 4 gestões que arrastam esse problema.

Isso acontece porque, em muitas ocasiões não se escuta o que a população realmente quer e precisa. No próximo artigo, citarei um exemplo recente de uma situação em que isso ficou bem claro. Aguardem.

Sonho com uma era, na nossa cidade e no nosso país, em que não precisemos implorar, reclamar, repetir à exaustão o que está tão óbvio que deveria automaticamente fazer parte dos planos cotidianos dos nossos gestores. Enquanto isso não acontece, vamos fazendo tudo de novo.

Em tempo: Se houve solução para alguma destas pautas, desculpo-me com os gestores da época, mas saliento que, no mínimo, a comunicação destas soluções para o público falhou, já que não a maioria não tomou conhecimento. O alinhamento da comunicação é, a propósito, outra questão a ser seriamente pensada, o que evitaria, dentre outras situações, a construção de obras sem obediência aos critérios da própria prefeitura.

Janaina Pereira é Administradora

Último artigo publicado: VOCÊ SABE QUEM ME COLOCOU AQUI?

Entre em contato com Janaina Pereira pelo facebook

Share

DOIS HOMENS TERIAM EFETUADO OS DISPAROS, DIZ POLÍCIA

De acordo com a Polícia Miliar, as três vítimas de disparos de arma de fogo estavam na rua Siqueira Campos, no bairro Santo Antônio, quando dois suspeitos se aproximaram e atiraram. Motivações e autorias dos crimes ainda não foram identificadas pela polícia. Os corpos das duas vítimas foram encaminhados para o Instituto de Medicina Legal de Caruaru. Um homem continua internado em um hospital de Caruaru. As informações são que o estado de saúde da vítima  é delicado. Leia TRÊS HOMENS SÃO FERIDOS À BALA; DOIS MORRERAM

Da Redação com informações do G1

Share

A corrupção nossa de cada dia…

Mikhail Gorbachiov é Cientista Social pela UFPE

A moda dos últimos anos é fazer o uso aberto e indiscriminado da palavra corrupção.

Os desatentos parecem atribuir um significado distinto para o que na verdade não passa de um sinônimo: o jeitinho brasileiro.

Não é novidade que depois da invasão portuguesa nas terras tupiniquins, este Brasil “véi de guerra” serviu de hospedaria permanente para as mazelas que vieram importadas de Portugal. De agiota a ladrão de colarinho branco, todos estavam por aqui.

Este terreno fecundo não poderia dar origem a uma nação que não fosse aquela que estivesse absorvendo, em tudo, aquilo o que os lusitanos apregoavam sobre sua cabeça: do cristianismo à depreciação indígena. Uma sociedade embebida de vícios sociais estava nascendo e lidar com isso não seria tarefa fácil.

Bem vindo ao Brasil, aqui o sonegador de impostos chama de ladrão aquele que desvia dinheiro público; o torcedor do Barcelona intitula de criminosos Collor, Renan Calheiros, Cunha, Temer, Lula, Aécio e companhia LTDA, mas sequer ousa falar em punição severa para Messi, que cometeu crime fiscal.

Vivemos numa sociedade onde “o que eu acho que é certo, é certo. E portanto não me diga o contrário”.

Quantos e quantos de nós não nos cansamos de ver nos bancos de nossa cidade, empresários que furam a fila descaradamente só porque têm um status social diferente dos demais ou até mesmo porque goza de boas erelações com fulano ou fulana que trabalha no Banco? Note que estes mesmos são aqueles que esbravejam discursos e opiniões sobre a corrupção do país. Mas aí te pergunto: Não seria este ser também um igual aos que critica?

A corrupção está entranhada no DNA brasileiro. Está nos pais que para que um filho se comporte em determinada situação oferece um chocolate ou dinheiro e depois do feito conseguido, negligencia sua promessa. Da mesma forma o é nas instituições.

Muitos dos que criticam os atos corruptivos também dizem “se eu estivesse lá também faria o mesmo”…

Os últimos 4 anos têm trazido experiências incríveis para a sociedade brasileira, e outra palavra que também ficou na moda –“crise”. Antes de quaisquer coisa que se argumente devemos analisar que a crise é sobretudo de identidade, uma crise de si. O brasileiro não sabe o que é, o que faz e muito menos sabe ser coerente com o que pensa.

Finalizo acreditando que somos todos corruptos: daquele que faz um preço diferenciado de um produto para alguém conhecido até ao que está lesando os cofres públicos. Mas como prêmio de consolação sugiro: “Viva como pensa, para que não pense como vive.” (Pepe Mujica)

Mikhail Gorbachiov é Cientista Social pela UFPE

Último artigo publicado: Quando a Serra Negra terá sua carta de alforria?

Entre em contato com Mikhail Gorbachiov pelo WhatSapp (81) 99428-4091

Share

A INICIATIVA COMO UM GRANDE DIFERENCIAL PARA O SUCESSO

Paulo Alves é advogado

No Brasil de hoje há mais de 14.000.000 (quatorze milhões) de pessoas desempregadas, o que é muito preocupante.

Há, ainda, paralelamente, uma infinidade de profissionais liberais que passam por sérias dificuldades no mercado de trabalho.

Mas também há uma grande massa de pessoas que nunca perdeu o emprego e nunca lhe faltou trabalho.

Manter e preservar o seu emprego e o seu trabalho é uma necessidade primária, elementar e essencialmente básica para qualquer pessoa.

Então, como fazer para que, nos momentos de recessão econômica, você não seja o escolhido a deixar o seu emprego ou o seu trabalho?

Ou, ainda, ao contrário, como fazer para que você seja o empregado ou o profissional querido, desejado, procurado e disputado pelo mercado?

Dentre as muitas características consideradas essenciais, elenco a “iniciativa” como uma qualidade de fundamental importância.

A iniciativa diferencia o funcionário e o profissional exemplar, competente, dedicado, comprometido, abnegado e excelente daquele que é considerado trivial, comum, mediano e, muitas vezes, preguiçoso, escorão.

O funcionário que tem iniciativa sabe o que precisa ser feito e o faz sem esperar ser mandado; está sempre disponível e em busca de mais trabalho; cuida da empresa e do trabalho como se fosse a sua própria empresa; resolve problemas, e não cria problemas; gosta de desafios e de realizar tarefas consideradas complexas e difíceis; nunca reclama e sempre trabalha alegre e satisfeito; zela pela qualidade, produtividade, resultado e satisfação do cliente; preocupa-se muito mais com as suas obrigações do que com os seus direitos.

O funcionário trivial, comum e mediano, ao contrário, normalmente adota a lei do menor esforço; foge de desafios e de tarefas consideradas complexas e difíceis; executa apenas as tarefas que lhe são repassadas e, não raro, quando termina de executá-las, fica no aguardo de novas designações; há pouco comprometimento com a qualidade, produtividade, resultado e satisfação dos clientes; preocupa-se muito mais com os seus direitos do que com as suas obrigações.

Diante desses dois cenários, uma constatação: aquele – o funcionário ou o profissional que tem iniciativa – raramente perde o emprego ou lhe falta trabalho e serviço; este – o funcionário ou o profissional comum, mediano – normalmente tem dificuldade de se firmar e de progredir no emprego ou no trabalho e, nos momentos de recessão econômica, não raro passa por dificuldade, é o escolhido para sair da empresa ou fica sem mercado de trabalho.

É que a sorte existe, sim, mas para aqueles que se comprometem, se dedicam e têm iniciativa. Henry Ford disse que acreditava muito na sorte, pois quanto mais trabalhava mais sorte tinha.

Portanto, que tipo de funcionário ou de profissional você deseja ser? Aquela que tem iniciativa e faz a diferença ou aquele que é considerado trivial, comum, mediano?

Paulo Alves da Silva- Advogado

ÚLTIMO ARTIGO: BR 232: PRIVATIZAÇÃO E COBRANÇA DE PEDÁGIO

Entre em contato com Paulo Alves através do facebook

Share